quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Post Vladimir Brichta

Paulo Vladimir Brichta
22 de março de 1976
Ator

Carreira
Novelas                                  Filmes
                                                
                                                                       Romance (2008)
                                                                       A Mulher Invisível (2009)
                                                                       Quincas Berro D` Água (2010)
Porto dos Milagres (2001)                           A Coleção Invisível (2012)
                                                                       Minutos Atrás (2013) 
                                                                       Muitos Homens Num Só (2014) 
                                                                       Um Homem Só (2014)
                                                                       Real Beleza (2015) 
                                                                       Minions (2015)
                                                                       Vai Que Dá Certo 2 (2016) 
                                                                      Bingo: O Rei das Manhãs (2017)
                                                                    
Coração de Estudante (2002)
Kubanacan (2003)
Começar de Novo (2004)
Belíssima (2005-2006)
Rock Story (2016/2017)

Séries 
Faça Sua História
Separação
Tapas e Beijos
Cidade Proibida 

Teatro
A Máquina
Hamelin
Os Produtores (Musical)
Arte (2012-2013) 
Vlad venceu o Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos e Artes) por Bingo: O Rei das Manhãs - A data da entrega ainda será definida 
Hoje tem Episódio de Cidade Proibida (12 de dezembro)

Melhor Ator(Rock Story)/Melhor Filme (Bingo)2017 - Contigo
Votações encerradas! Vlad é vitorioso, Gui Santigo e Rocky Story foi um trabalho maravilhoso e ficarão pra sempre na vida e carreira de Vladimir Brichta que estava todo lindo e poderoso, direto de Nova York, divulgando Bingo!
Taís Almeida
Adm.








 MELHORES DO ANO 2017 - 10 de dezembro 2017 

Votei na opção 'Vladimir Brichta' em 'Troféu Domingão 2017: vote na categoria Ator de Novela' http://gshow.globo.com/programas/domingao-do-faustao/melhores-do-ano/2017/interatividade

Votei na opção 'Vladimir Brichta' em 'Troféu Domingão 2017: vote na categoria Ator de Novela' http://gshow.globo.com/programas/domingao-do-faustao/melhores-do-ano/2017/interatividade
http://gshow.globo.com/programas/domingao-do-faustao/melhores-do-ano/2017/interatividade/enquetetv/2017/12/3/trofeu-domingao-2017-vote-na-categoria-ator-de-novela-6f681f52-d868-11e7-90c2-0242ac110003.html

Votei na opção 'Vladimir Brichta' em 'Troféu Domingão 2017: vote na categoria Ator de Novela' http://gshow.globo.com/programas/domingao-do-faustao/melhores-do-ano/2017/interatividade
Twitter
Dezembro
9

4

3




Vladimir Brichta e Adriana Esteves vão contracenar em 'De volta pra casa'

Twitter

2017

Dezembro

5

 4

3


 Cidade Proibida - 28/11/17






QG 2017

Emmy 2017 






Twitter Oficial do Emmy
 Novembro

18

Vlad no Altas Horas - 21 de outubro de 2017

 Vicente é lindo demais, puxou os pais na beleza e no carisma!!! Uma fofura, fiquei toda encantada em ver ele no programa!
Taís Almeida
Adm.
 Twitter
22

 21


Dia dos Pais 2017  

Niver Vlad 2017


Estreia HOJE! - 26 de Setembro de 2017 Cidade Proibida

Twitter

Outubro

19

 

18

 


  'Bingo' representará o Brasil na escolha dos indicados ao Oscar 2018


O anúncio foi feito nesta sexta (15/09/17), em São Paulo, na sede da Cinemateca Brasileira




 RIO – Dirigido por Daniel Rezende e estrelado po Vladimir Brichta, "Bingo – O rei das manhãs" foi o escolhido por uma comissão da Agência Nacional de Cinema (Ancine) para representar o Brasil no prêmio Goya, principal premiação de cinema da Espanha. Assim, o filme sobre a trajetória de Arlindo Barreto, que viveu o palhaço Bozo, poderá ser indicado na categoria melhor filme ibero-americano.

Vladimir Brichta fala sobre novo trabalho e revela que escutou críticas pelo visual

Post Cacau 

  QUEM: Como foi a preparação para Cidade Proibida?
VLADIMIR BRICHTA:
A preparação foi, principalmente, buscar elementos que ajudassem a gente a entender essa linguagem, essa história. Vi muitos filmes noir da época. Filmes recentes também, filmes contemporâneos, mas que visitam essa linguagem do noir. Além disso, muita leitura dos textos. A gente conseguiu uma bela antecedência nesses textos. Até começar a gravar nós estávamos lendo bastante, discutindo bastante essas histórias, tentando conceituar, compreender, entender a trama. Faz parte também desse estilo, uma trama muito complexa, muito elaborada, então a gente perseguiu mesmo isso. A preparação se deu muito mais dessa forma, muito mais do que aprender a dar um tiro, manusear uma arma ou dirigir um carro antigo.

QUEM: Uma trama de época traz exigências específicas?
V.B.: Cidade Proibida é uma série que se passa nos anos 50. É um período que a gente já tem um certo volume de material da época, mas não tem tanto como hoje em dia, como nas décadas seguintes, é claro. É um trabalho de um tom, de uma linguagem muito específica, que tem parentesco com a obra de Nelson Rodrigues e também tem parentesco com filme noir. A história se passa no Rio de Janeiro. O tom não resvala para o humor, mas também não é um dramalhão ultrarrealista. Tem uma linguagem muito específica.

QUEM: A série é baseada em Zózimo – O corno que sabia demais e seu personagem é um detetive. O que pode adiantar da história?
V.B.:
A série é inspirada nesse quadrinho, Zózimo – O Corno Que Sabia Demais, e isso já dá um bom indício do que vamos ver. Mesmo que não tenha esse nome, ela traz muitas situações de adultério. O Zózimo, meu personagem, é esse detetive particular e ex-policial, investiga muitos casos de adultério, eventualmente com crimes envolvidos. Era comum se resolver adultério com crime, com morte, então temos muitas situações essa temática e perseguição. A série tem alguns elementos interessantes, um certo humor, uma certa bossa contida nessas histórias, que resvala numa coisa, às vezes, patética mesmo. Às vezes, o amor enlouquecido, doentio, colérico, torna os personagens patéticos. A gente tem o trágico, o cômico, o patético, todos esses elementos numa dose muito equilibrada, e também bastante ação. Como se passa em uma época em que o machismo era muito mais preponderante que agora, muito mais presente também, acaba brincando um pouco com o estereótipo daquele homem. Essa ideia de espionagem, de perseguição, de mulheres fatais, incríveis e apaixonantes ao primeiro olhar. 

QUEM: De que forma a mudança no visual te ajudou a abandonar o Gui Santiago, seu personagem na novela Rock Story, e construir o Zózimo?
V.B.:
A questão do visual é realmente superimportante para você entender um personagem. Principalmente porque eu venho de um personagem que era um roqueiro, com cabelo comprido... Aquilo é muito simbólico e marcou bastante. Tanto que, quando eu cortei o cabelo, as pessoas me abordavam na rua com muita frequência e sempre questionando, brincando e às vezes, até criticando o corte, mas a verdade é que são signos muito fortes. Quando a gente vai para uma outra época, anos 50, você tem que ser muito mais rigoroso com essa parte de caracterização, porque as pessoas seguiam muito mais um padrão do que hoje em dia. Os homens estavam com ou sem bigode, mas nunca com barba, estavam sempre com o cabelo curto, não muito curtinho, mas jamais comprido. Essa caracterização é muito específica, mais rigorosa, e a gente cuidou disso com detalhe, para que ajudasse. E ajuda mesmo a compor, não só a caracterização, mas o figurino também, com terno, colete, compondo uma coisa muito mais formal. As pessoas talvez fossem mais informais nos seus hábitos, na sua conduta, mas havia um comportamento padrão, que era respeitado. 

QUEM: Deu pra descansar entre um trabalho e outro?
V.B.:
Foi um curto espaço de tempo entre um trabalho e outro. Eu tive que descansar o máximo que dava no pequeno espaço de tempo que tive, não só para viver essa outra história, mas para criar esse personagem. Antes mesmo de começar a fazer a novela, eu já havia lido os textos da série junto com o Maurício (Farias, diretor), junto com a equipe e, durante a novela, teve um período em que eu consegui me dedicar um pouco a isso. Aí eu já fui meio que cozinhando, em algum lugar da cabeça, essa figura que eu teria que compor. Isso me ajudou a não ser pego de supetão.

Fonte: Quem 

 

Para trama ambientada na década de 1950, ator abandonou cabelos compridos: "Quando cortei o cabelo, as pessoas me abordavam na rua com muita frequência e, às vezes, até criticavam o corte"

26/09/2017 14h43 - Atualizado em: 26/09/2017 15h19 /

Começa a ser exibido o Teaser de Cidade Proibida (08/09)
O Rei das Manhãs já é um sucesso e está entre os 23 filmes selecionados pra concorrer a uma vaga pra representar o Brasil no Oscar 2018 
Twitter
2017
Novembro
14



Outubro
22


19

17

Setembro

9

6

1

Coletiva Cidade Proibida - 24 de agosto de 2017 
 Estreia de Bingo: O Rei das Manhãs - 24 de agosto de 2017  

  Conversa com Bial - 23 de agosto de 2017

Não colocarei a entrevista completa aqui pois terei que colocar no canal do Youtube antes e a Globo irá bloquear. Coloco apenas uma filmagem que eu mesma fiz, que é de duração de 1 minuto e por isso deu pra colocar do meu celular direto aqui. Quem quiser a entrevista completa, entre em contato comigo por email.
Taís Almeida Cardoso - Adm.

 

Twitter
Outubro
9

 Pré Estreia RJ  22 de agosto de 2017


 

Fotos enviadas por Isabel Sousa Dias - Lisboa (Portugal) 

 

Críticas Bingo

  Filme: MARAVILHOSO!

Acabei de chegar do cinema onde assisti ao filme Bingo: O Rei das Manhãs! PERFEITO! Direção, trilha sonora, fotografia, elenco.... TODOS do elenco estão perfeitos, VLADIMIR BRICHTA ESTÁ FANTÁSTICO! 

Reparem bem que tem uma mega rápida participação de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo, e o "verdadeiro Bingo (Bozo), cujo nome no filme é Augusto Mendes

  Vamos aos comentários: Amo todos os filme que tive a honra de consegui assistir de Vlad, mas esse, sem dúvidas, é o meu preferido dele!!!!!! Ele está soberbo em TODAS as cenas! Vlad coloca em Bingo uma pintada de humor com ironias nada infantis mas que fez de Bingo o palhaço de sucesso que Bozo fez nos anos 80! Com todo respeito, Wagner Moura, mas obrigada por não ter podido fazer o filme e entregado o palco e Bingo a Vlad! Não vejo outra atriz no papel de Carminha que não seja Adriana Esteves, no papel da Chayane que não seja a Cláudia Abreu, assim como não vejo outro ator no papel de Bingo! Eu cheguei a acompanhar o programa do Bozo quando eu era criança e, lembro de ser um palhaço diferente dos palhaços que eu via em circos...tinha umas piadas e brincadeiras meio "fortes" comparada à Xuxa, à Mara Maravilha e ao palhaço Carequinha  que também acompanharam minha infância e, eu gostava de todos! Assistindo às cenas de Vlad com o nariz e a máscara de Bingo ao lado das crianças, nas cenas do Programa do Bingo, eu lembrei desses momentos em que eu me divertia com as brincadeiras dos apresentadores infantis que foram meus 1ºs ídolos e que guardo com carinho todos, eu me diverti ao ver essas cenas como se eu tivesse voltado na minha infância e também amei ver o trabalho de toda uma equipe pra colocar no ar o que eu amava e continuo amando: televisão, cinema....Sempre tive curiosidade em ver como eram os trabalhos dos profissionais que ficavam atrás das câmeras, sempre gostei de assisti a Making Of de filmes, novelas, séries, programas em geral...

 Me emocionei muito nas cenas de Vlad como Augusto em seus momentos com o filho Gabriel, feito de forma madura e competente pelo pequeno Cauã Martins! Me deu uma pequena inveja do Gabriel nos momentos mágicos e preciosos em que ele passou com o pai (sempre tive pai ausente...). As cenas foram lindas! Vlad e Cauã numa sintonia incrível!! Me fizeram juntos soltar lágrimas em vários momentos felizes e tristes pelo qual passam juntos (não vou entrar em detalhes pra não dar spollers), mas vários momentos parecia que Cauã era filho de verdade do Vlad, até o cabelo do Vlad (quando estava sem o cabelo do Bingo) fez Cauã estar parecido com ele. Aliás, Cauã, você é um fofo comigo no Instagram e quero desejar parabéns a você, é um ator promissor que tem um futuro brilhante pela frente!

 Direção também primorosa! Em especial em duas cenas que me chamaram mais a atenção: uma cena de Augusto e Gabriel, o foco da cena é o Gabriel, mas por conta de ser uma cena forte, e ele ser menor de idade, a lente da câmera, que estava focando pai e filho, coloca em Gabriel, que está mais afastado da câmera, uma lente desfocada e focada em Augusto que está dormindo e imóvel, enquanto Gabriel, que é o protagonista da cena, tem seus movimentos meio que cobertos por essa lente desfocada,  propositalmente, mas, dando ao espectador a clara noção das ações do menino e, essas ações irão gerará consequência na vida de ambos. Uma outra cena, é a uma em que Augusto está saindo dos estúdios que ficam atrás do cenário do Programa do Bingo e vão se apagando a medida que Augusto vai andando, pelo corredor, em direção a saída dos estúdios. O clima da cena e o motivo pelo qual ele está saído....esse jogo de luz ficou nesse momento é sensacional!!! Assim como a cena em que Augusto presenteia o filho com uma brincadeira que eles faziam juntos, cenas marcantes....emocionantes e que têm muita importância dentro do contexto do filme!

Parabéns, muitos aplausos a todos da equipe responsável por essa obra de arte que pretendo ter na minha coleção de DVDs, Blu-reys... e, meus parabéns especiais a Vladimir Brichta que, mais uma vez, prova a minha admiração e justifica o fato de eu ser sua fã há 15 anos!

 Taís Almeida Cardoso - Adm.

  Diário de S. Paulo

23/08/2017 - 17:19

Inspirado no 1º Bozo, 'Bingo' mostra bastidores do programa


Show se tornou um fenômeno da TV brasileira e da cultura pop na década de 1980. Confira o trailer

Por: Giovanni Oliveira
giovanni.oliveira@diariosp.com.br

 Os anos 1980 podem ser resumidos em uma palavra: exagero. Uma rápida busca na internet e está tudo lá: as roupas coloridas, os penteados extravagantes, a maquiagem destacada... Era tudo demais! E que figura melhor representa este exagero senão um palhaço? Seu sorriso invade as bochechas, o cabelo é enorme, os sapatos são gigantes e o nariz sobressai ao rosto. A história de Arlindo Barreto, homem que deu vida ao primeiro palhaço Bozo e inspirou "Bingo - O Rei das Manhãs", também pode ser resumida nessa palavra.
Mais CINEMARK

O filme é um espetáculo. Uma ópera dramática que narra a ascensão e queda de um homem que queria apenas ser reconhecido por seu trabalho. Filho de uma grande atriz, Augusto Mendes (Vladimir Brichta) ganha a vida atuando em filmes de pornochanchada. Divorciado, ele mantém um bom relacionamento com seu filho Gabriel (Cauã Martins).
Porém, decidido a dar um novo rumo a sua carreira, ele faz uma ponta em uma novela da Mundial, a maior emissora de TV da época. Infelizmente, o trabalho não dá muito certo, e é então que ele encontra a oportunidade de sua vida na TVP (emissora concorrente): estrelar a versão brasileira de um programa de sucesso dos Estados Unidos: o show do palhaço Bingo! Mas há uma condição: ninguém pode saber quem é o homem por trás do nariz vermelho.
É aí que Augusto vive seu maior dilema. Ao assumir a máscara de Bingo, ele alcança o estrelato e o anonimato ao mesmo tempo. Seu jeito irreverente e politicamente incorreto conquista as crianças e alavanca a audiência da emissora. Mas com a fama, vêm os excessos. Augusto mergulha no mundo das drogas e apresenta ao espectador uma contradição: o homem que de dia alegra as crianças, à noite se mostra um péssimo exemplo para elas. No entanto, seu filho é quem mais sofre com o novo trabalho. De protagonista, passa a ser coadjuvante da própria relação entre pai e filho.
Com uma excelente orientação de Daniel Rezende, que faz sua estreia como diretor, passeamos entre os altos e baixos da vida de Augusto e todos aqueles que o cercam. O roteiro e o texto de "Bingo" são excepcionais, e conseguem gerar esperança, medo, tensão e alegria em vários momentos. A maior parte deste acerto se deve a Vladimir Brichta, que apresenta definitivamente seu melhor papel. Recém saído da novela "Rock Story", da Rede Globo, Augusto (e Bingo) nada lembram seu último personagem.

Com uma excelente montagem, fotografia, ambientação, trilha-sonora e estética que nos fazem acreditar que o filme foi realmente gravado em 1980 e mantido numa cápsula do tempo até hoje, "Bingo - O Rei das Manhãs" não é um filme sobre um palhaço ou um programa de televisão. É sobre as piadas sem graça que tornam a vida de um homem um drama.
Confira o trailer:


Bastidores Segundo o diretor Daniel Rezende, o papel de Bingo foi inicialmente pensado para o ator Wagner Moura. Porém, devido aos conflitos de agenda, já que o ator estava envolvido com outros projetos, Vladimir Brichta foi indicado pelo próprio Wagner para viver o palhaço Bingo. "Eu fui tomar um café da manhã com o Vladimir para conhecê-lo e, no 'bom dia', eu falei: 'cara, é ele'", revela o diretor. Durante a preparação para o personagem, Brichta teve aulas com o ator Domingos Montagner e se apresentou num circo de verdade sem que o público soubesse de sua presença.

Notas Bingo 

 Vladimir Brichta e diretor de 'Bingo' falam de exageros e liberdades na TV dos anos 80: 'Profissionalismo cresceu'

Diretor e protagonista de 'Bingo' comentam espírito dos bastidores da época. Para Daniel Rezende, filme inspirado no Bozo tem personagem megalomaníaco e politicamente incorreto. Veja VÍDEO 

Só mesmo os anos 80 eram capazes de colocar Gretchen, com pouquíssima roupa, rebolando ao lado de um palhaço no horário nobre da programação infantil. A cena, presente em “Bingo - O rei das manhãs”, é o retrato de uma época em que, para Vladimir Brichta, a televisão tinha mais espontaneidade.
No filme, que estreou nesta quinta (24), o ator interpreta Augusto Mendes, homem por trás de um palhaço inspirado no Bozo, uma das mais conhecidas figuras da TV oitentista. Criado nos Estados Unidos, o personagem bobinho ganhou uma versão mais malcriada no Brasil. O protagonista avalia: 

“As pessoas gozavam de uma liberdade maior [na TV]. Isso, de alguma forma, diminuiu. Mas o nível de profissionalismo e elaboração é muito maior hoje.”

Algumas coisas, porém, nunca mudam. “Existe uma diferença enorme entre como se fazia TV nos anos 80 e como se faz hoje. Mas as relações humanas são muito parecidas, no desejo de produzir, em artistas que não se comunicam, em projetos que têm muita ambição, alguém não gosta e, por isso, não vão adiante”, acrescenta Brichta.  

Quase tudo é verdade

A história de "Bingo" é inspirada na vida de Arlindo Barreto, um dos atores que interpretaram o Bozo. Ex-astro de pornochanchadas, ele conseguiu o papel do palhaço zoando o dono do formato americano - que não falava português -, teve um caso com Gretchen e conquistou uma produtora do programa (na ficção retratada como a diretora Lucia, vivida por Leandra Leal). No auge, Arlindo se afundou em drogas e álcool. Anos depois, virou evangélico. 

Quase todos os acontecimentos do filme têm paralelo com a realidade - embora algumas cenas tenham sido apimentadas no roteiro. "A gente fundiu personagens, inverteu coisas, suprimiu o tempo, porque o filme pede isso", explica o diretor estreante Daniel Rezende, conhecido pelos trabalhos de edição em "Tropa de elite" (2007), "Diários de motocicleta" (2004) e "Cidade de Deus" (2002). Ele completa: 

"Criamos um personagem megalomaníaco, irreverente, subversivo, politicamente incorreto, que tem tudo a ver com a época em que o filme se passa."

Na pré-produção do longa, Arlindo concedeu uma entrevista de mais de quatro horas ao roteirista, Luiz Bolognesi. Foi esse o material usado por Brichta para incorporar alguns trejeitos do ex-Bozo. Mas o ator não se cobrou tanto. "Não estou fazendo o Cazuza ou o Tim Maia, que todo o mundo conheceu. Estou fazendo o Augusto, inspirado no Arlindo", diz. 
Ainda bem. Dizem por aí que há uma certa "maldição do Bozo": muitos atores que viveram o palhaço no Brasil amargaram tragédias ou catástrofes pessoais. Brichta se vê livre da praga: "Não acredito em lenda urbana. Eu fiz o Bingo, para mim tá tudo certo."



Youtube

  Twitter

Dezembro

3

 Setembro

27

9

  8

  6

  5

 

4

  1

  Agosto

29

 

25


 

  23 


  Pré Estreia SP - 15 de agosto de 2017

Vladimir Brichta vê Bingo como uma de suas melhores performances

Por iG São Paulo |
Fonte: Gente - iG @ http://gente.ig.com.br/colunas/2017-08-17/vladimir-brichta-bastidores.html
Vladimir Brichta vê Bingo como uma de suas melhores performancesFonte: Gente - iG @ http://gente.ig.com.br/colunas/2017-08-17/vladimir-brichta-bastidores.html

Mesa Redonda sobre Bingo: O Rei das Manhãs -15 de agosto de 2017

Ator participou de uma mesa redonda com jornalistas e falou sobre "Bingo – O Rei das Manhãs", que chega aos cinemas em 24 de agosto

Depois de viver o protagonista Gui na novela "Rock Story", da Globo, Vladimir Brichta agora está nas telonas como o protagonista de "Bingo – O Rei das Manhãs".
Fonte: Gente - iG @ http://gente.ig.com.br/colunas/2017-08-17/vladimir-brichta-bastidores.html

Vladimir Brichta vive no cinema história barra-pesada de ex-Bozo

 Protagonista do filme Bingo: O Rei das Manhãs, o ator surpreende na pele de um palhaço que conheceu o sucesso e o fundo do poço


Afastado dos estúdios e das novelas de TV por três anos, retomou sua trajetória no Projac em 2008, ao encarnar o hilário Armane, do seriado Tapas & Beijos. De imediato, foi alçado ao posto de galã cômico. Tanto ele quanto boa parte dos colegas, porém, sempre acreditaram que seu potencial ia além. Uma oportunidade imperdível surgiu com Bingo. A primeira opção do diretor Daniel Rezende, que trabalhou como montador nos filmes Tropa de Elite 1 e 2, era o protagonista dos dois sucessos de José Padilha, o ator Wagner Moura. Com problemas de agenda para as filmagens, Moura sugeriu Brichta, seu amigo dos tempos de teatro em Salvador. “Precisava de um ator que conseguisse transitar entre a comédia e o drama. Poucas vezes conheci alguém que se entregasse tanto quanto o Vladimir, e isso está lá, na tela”, diz o diretor de Bingo.

Os amigos Moura e Brichta fazem parte de um time de atores vindos da Bahia alçados ao estrelato em 2000 com a peça A Máquina, dirigida por João Falcão. Além da dupla, integra o grupo Lázaro Ramos. A trinca de jovens artistas, brilhantes e desconhecidos, amealhou um séquito de admiradores entre os grandes nomes do ramo, como a atriz Fernanda Montenegro. Para Brichta, o sucesso era quase diversão. Ele só tremeu nas bases mesmo no dia em que viu o jogador Ronaldo Fenômeno na plateia. Até hoje Moura, Brichta e Ramos cultivam fortes laços de amizade e têm por hábito trocar opiniões sobre trabalho. Brichta recorda-se de bolas fora que deu nessas conversas, como quando aconselhou Moura a não fazer Tropa de Elite 2, o maior fenômeno de bilheteria do cinema nacional.

Ao contrário do que se pensa, Brichta, que ainda ostenta um leve sotaque soteropolitano, não é baiano. Nasceu em Diamantina, em Minas Gerais, quando seu pai, o geólogo e professor Arno Brichta, fazia pesquisas na região. Uma história que o ator gosta de contar é que foi concebido em uma cela do Complexo Prisional da Mata Escura, em Salvador, onde o pai ficou preso por um ano, durante o regime militar. “Eu não tenho cara de visita íntima? Olhe para mim”, provoca. Seu nome foi uma homenagem ao jornalista Vladimir Herzog, assassinado pela repressão em 1975. Tratado na intimidade por Vládi, Brichta está casado desde 2006 com a atriz Adriana Esteves, com quem tem um filho, Vicente, de 10 anos. No apartamento da família em São Conrado, moram ainda Agnes, de 19, filha de seu primeiro casamento, e Felipe, de 17, filho de Adriana e do ator Marco Ricca. Para quem já chegou a ser chamado de “marido da Carminha”, numa referência ao estrondoso sucesso dela na novela Avenida Brasil, Brichta é de uma generosidade tocante. “Esse tipo de coisa nunca me incomodou. Eu tenho o maior orgulho dela”, confessa o ator, que tatuou no braço esquerdo a palavra “Adri”, a maneira como a chama. A admiração é mais que correspondida. “O Vládi não dramatiza nada, enxerga a vida com humor. Se eu fosse homem, queria ser ele”, derrama-­se a atriz. Em casa, pelo visto, Brichta já foi coroado o rei da palhaçada há muito tempo.

 Entrevista Aqui
Twitter
2017
Setembro
4

Agosto
20

19
 Lançamento - Na Minha Pele - 3 de julho de 2017

 Post Lançamento
Drivla
Teatro - 22 de junho de 2017

  Série - Cidade Proibida - Última semana de setembro de 2018 

                                               Elenco: Vladimir Brichta

                                 Ailton Graça                          
                         Daniel Boaventura         
         Regiane Alves
Participações: Cláudia Abreu
                          Andrea Beltrão 
                          Daniel Rocha
                              Mariana Ximenes 
                              Giovanna Antonelli
                         Miguel Falabella
                      Thiago Lacerda 

Vladimir Brichta será um detetive particular em nova série da Globo

 

 

 

Após "A Lei do Amor", Daniel Rocha será um ator de cinema em "Cidade Proibida"

Após A Lei do Amor (2016/2017), onde viveu o misterioso e usuário de drogas, Gustavo, o ator Daniel Rocha fará participação em série da Globo.



Segundo a jornalista Patrícia Kogut ele interpretará um ator de cinema que se apaixona pela atriz com quem contracena, em Cidade Proibida, série de Mauro Wilson e Maurício Farias.

 

  O ator Vladimir Brichta já tem outro compromisso na Globo.

Recém-saído de ‘Rock Story’, ele já está envolvido nas gravações da série ‘Cidade Proibida’ que deve estrear em setembro na emissora.
Baseada no livro “O Corno Que Sabia Demais”, a história seguirá um policial e detetive aposentado, especialista em relações extraconjugais, que acaba envolvido com uma prostituta, vivida por Regiane Alves.
A cada episódio, ele tentará desvendar um caso de infidelidade ao mesmo tempo em que lida com a ex-mulher, papel de Claudia Abreu.
O elenco está repleto de participações especiais. Já gravaram Giovanna Antonelli, José de Abreu, Miguel Falabella e José Loreto.
Fonte: coluna Zapping

Gravações de Cidade Proibida começaram.... 

 


Instagram - José Loreto - @joseloreto
Instagram - Regiane Alves - @regianealves

 

Depois de 'Rock story', Vladimir Brichta muda visual para série

Rafaela Santos


Mal acabou “Rock Story”, e seu protagonista, Vladimir Brichta, já tem um novo trabalho pela frente.
O ator está confirmado na série “Cidade Proibida”, e a partir de agora volta as suas atenções para o projeto. São informações do jornalista Flávio Ricco, do “UOL”.
Na história, Vladimir será um detetive, Zózimo, que se envolve com suas cliente.

Notas
http://noticiasdetv.com/2017/06/02/giovanna-antonelli-e-claudia-abreu-vao-participar-da-serie-cidade-proibida/

Twitter




Esqueça o visual roqueiro de Vladimir Brichta em "Rock story". O ator, que já terminou de gravar suas cenas na novela das 19h, cortou os cabelos para o próximo trabalho. Ele estará em "Cidade proibida", série de Mauro Wilson e Maurício Farias na Globo.
Na atração, que será ambientada nos anos 1950, Vladimir interpretará Zózimo, um ex-policial que virou detetive particular especializado em casos de adultério. Por conta disso, acabará se envolvendo com suas clientes.
Fonte: Patrícia Kogut




 

 

 

 

 

 

  

Cláudia Abreu será ex namorada de Vladimir Brichta em Cidade Proibida 

  Cláudia Abreu é chamada pela Globo para nova série 

Os trabalhos para a série “Cidade Proibida”, que a Globo pretende lançar nos próximos meses, vai contar com a presença de Cláudia Abreu.
A atriz, protagonista de “A Lei do Amor”, retornará a grade da Globo em um dos episódios da trama estrelada por Vladimir Brichta. Na história, Cláudia vai interpretar um antigo amor de Zózimo, papel de Brichta. São informações da jornalista Patricia Kogut, do jornal “O Globo”.
Fora do ar na TV aberta, a atriz pode ser vista no Gloob, em uma série infantil, chamada Valentins, da qual atua, co-edita e co-produz.

Nota  

Nova série da Globo, “Cidade Proibida” contará com a participação de time de estrelas

Uma das novas séries da Globo, “Cidade Proibida” (antes chamada de “Zózimo”) não sofrerá com a ausência de nomes de peso no seu elenco.


De    De acordo com a colunista Patrícia Kogut, a pro  produção deve contar com a participação de um ver  verdadeiro time de estrelas da emissora carioca. Ent  e os nomes convidados para a trama estão os de  Ma    Mriana Ximenes, Andréa Beltrão, Cláudia Ab   Abreu, Giovanna Antonelli, Thiago Lacerda, e      Miguel Falabella.
Esc   Escrita por Mauro Wilson e protagonizada por Vl     Vladimir Brichta, “Cidade Proibida” deve ir ao a  ao ar apenas em 2018. O projeto foi aprovado em   em 2015 e teve seus roteiros finalizados no ano pas   pasado, mas teve seu lançamento adiado diversas vezes. Baseada no livro “O Corno Que Sabia Demais”, a série 
narrará a história de um detive particular, vivido por Brichta, que investiga a fidelidade do amante da
própria mulher.

 
Twitter
Setembro
8

5

Agosto
8


Julho
28


13

Junho
26

Twitter
2017
Junho
26

Brichta avalia sucesso de 'Rock Story' e elogia relação de Gui e Zac: 'Tem a ver com a minha trajetória de amadurecimento'

 Ao Gshow, protagonista da trama fez um balanço do trabalho realizado

Foram quase 11 anos longe das novelas, mas não da TV. Em Rock Story, bastava Gui Santiago aparecer ao lado de Júlia (Nathalia Dill) ou de Zac (Nicolas Prattes) para o público nas redes sociais ir ao delírio na torcida pelos personagens. Intérprete do roqueiro que conquistou o Brasil, Vladimir Brichta faz um balanço da trama e atribui o sucesso às ideias da autora e ao clima nos bastidores, resultado de um trabalho de preparação de elenco que começou muito antes da estreia. Ao Gshow, o ator faz um balanço de seu papel na trama e destaca a relação de pai e filho que viveu na novela: “Acho que isso tem a ver com a minha trajetória de amadurecimento”.  

"Sabia que em algum momento eu voltaria a fazer. Quando vi a proposta, vi que havia um potencial muito forte no personagem. Me dediquei ao máximo e me sinto muito feliz e bastante realizado em ter feito o Gui da forma como foi e ter sido tão aceito e querido pelo público"

"Muito do mérito está na autora, na forma como ela construiu os personagens. A coisa mais bonita nessa história foi a relação de pai e filho que apareceu já no primeiro capítulo. A presença dele e a relação que precisava ser conquistada marcaria um processo de amadurecimento do Gui.  

Nicolas Prattes
 O Nicolas é um excelente ator, muito talentoso, muito promissor e muito focado. Imediatamente, a gente se entendeu bem. Buscamos cumplicidade e parceria mesmo fora de cena e de uma forma muito intuitiva, nada foi combinado"

Gui e Júlia
 
"Acho que a autora desenvolveu a relação dos dois de uma forma muito legal. Nunca tinha trabalhado com ela e é uma atriz que eu já gostava, já admirava. Assim como aconteceu com o Nicolas, cada um de nós ficou encantado com os personagens que tínhamos em mãos e com a história que tínhamos para contar"

Clima nos bastidores
 “Sem dúvida alguma, o clima e a química entre o elenco contribuíram muito. Começou desde a preparação que fizemos com o Eduardo Millevicz. Ele promoveu uma generosidade com o outro, um olhar comprometido a enxergar as virtudes do colega. Isso trouxe um espírito de grupo, uma união que repercutiu positivamente na história. A gente sempre vibrou e torceu muito um pelo outro”
Férias


“Serão curtas porque dia 26 de junho eu já começo a gravar 'Cidade Proibida'. É um projeto diferente com o qual estou muito animado. Vou tirar 20 dias para descansar, para reencontrar a família, meus pais e irmãos e dar mais atenção a meus filhos"

 O que fica de 'Rock Story'

 

“Acho que vou levar inúmeras lembranças boas. Vou levar a alegria de ter me reaproximado da música e, principalmente, a capacidade que a gente teve de ter criado um coletivo tão unido em um processo tão longo”

Destaque do trabalho

“Destacaria a relação de pai e filho, vou guardar com muito carinho. Talvez tenha sido a primeira vez que eu tenha contado a história de um pai de um adulto. Acho que isso tem a ver com a minha trajetória de amadurecimento. Eu também tenho uma filha já adulta e é muito legal contar essa história. Destaco, também, a passada de bastão do meu personagem. Isso foi muito bonito. Ele não deixou de ser artista, não deixou de produzir, mas entendeu que era hora de passar o bastão para o filho”
'Bingo, o rei das manhãs'

“A gente nunca sabe o sucesso que fará o trabalho, mas a expectativa é enorme. É um filme pop, divertido, comovente e dinâmico. Ele faz um mergulho na produção de TV dos anos 80. É um personagem muito controverso que tem muito desejo de ser reconhecido. Não quer ser anônimo de jeito nenhum, mas vive aprisionado atrás de uma máscara”



 Twitter
2017
junho
6


5








Dia do Beijo - 13 de abril

'Rock story' congrega valores e se dá bem

Causadora de muita infelicidade para a irmã idêntica, Lorena (Nathalia Dill) morreu recentemente em “Rock story”. Não é preciso fazer um grande exercício de memória para lembrar que a novela de Maria Helena Nascimento começou puxada por esse drama, com a mocinha, Júlia, em fuga por causa da gêmea má. Lorena perdeu a vida, mas o repertório de tramas não se esgotou. Ao contrário, de lá para cá, a história só fez avançar. Esse é o maior desafio de quem escreve um folhetim: atravessar uma imensidão de capítulos sem enrolar, inventando acontecimentos, lutando contra a tentação de andar em círculos e repetir truques. Estreante como titular, Maria Helena (que foi colaboradora de autores do primeiro time) vem vencendo tudo isso.
“Rock story” — com direção artística de Dennis Carvalho — não reinventa a pólvora. Longe disso, corre em trilhos conhecidos pelo telespectador. Júlia é mocinha, vítima, lutadora. Se apaixonou pelo herói, Gui (Vladimir Brichta), no que é correspondida. Só que o romance enfrentou inúmeros obstáculos. O principal deles é a ex-mulher do músico, Diana (Alinne Moraes). A personagem, cheia de contradições, é uma das poucas construções fora do padrão nessa novela. Ela é capaz de gestos terríveis sem, no entanto, ser uma malvada tradicional. Boa mãe, é afetuosa e passional. Não tem a frieza de uma vilã armadora. A banda de meninos, uma grande sacada, já foi vista na TV (por exemplo, em “Rebelde”, na Record). Em “Rock story”, a escalação é outro valor: os atores/músicos são ótimos e, juntos, mais ainda. Sem dizer que Brichta canta, o que só faz subir a temperatura das cenas de show. Rafael Vitti (Léo Régis) é outra boa escolha para o papel do ídolo teen que fica entre o malandro e o bobão. E Ana Beatriz Nogueira (Néia), uma atriz de qualquer personagem, aqui está exercitando a veia humorística com o brilho que já cansou de mostrar no drama. João Vicente de Castro se sai muito bem como o empresário mau-caráter Lázaro. A produção das 19h é um daqueles casos em que tudo conflui para algo que cai no gosto do público. Há aí uma dose de subjetividade. Mas, no geral, é mérito da equipe mesmo.

 Vladimir Brichta fala de seus protagonistas na novela 'Rock Story' e no filme 'Bingo'


Ator se apaixonou pelos personagens e diz compreendê-los, mesmo não concordando com eles em várias ocasiões




























































































































Foto: Wilton Junior/Estadão
 Desde que a novela das 7 Rock Story estreou, em novembro, na Globo, o roqueiro Gui Santiago não teve sossego em sua trajetória de redenção. O personagem, vivido pelo ator Vladimir Brichta, começou o folhetim com a vida pessoal e a carreira em frangalhos. Perdeu a mulher, Diana (Alinne Moraes), e a fama. Mas ganhou uma segunda chance. Só que, para chegar ao tão almejado ‘happy end’ da novela, que está entrando na reta final, ao lado de sua nova amada, Júlia (Nathalia Dill), o herói criado pela autora Maria Helena Nascimento ainda terá de enfrentar um calvário quase diário. E quando Gui põe as mãos na cabeça, segurando seus longos cabelos para trás, pode estar certo: alguma coisa não vai nada bem.  “Acho que a novela tem uma dinâmica muito ágil, muita coisa acontece e o Gui realmente sofre bastante, e tem uma sucessão de coisas ruins que acontecem com ele, percalços. Eventualmente, profissional, eventualmente, pessoal”, concorda Vladimir Brichta, em entrevista ao Estado, por telefone, do Rio. Para ele, fazer uma novela com tantos capítulos é um desafio muito grande. “Acho que, nessa guinada de modernização da novela, sofrendo influência das séries de TV, a gente consegue, numa certa medida, criar muitos conflitos, quase que diários. Falei da influência das séries de TV, por exemplo, mas eu não assisto muito. Só que as poucas que eu vejo me interessa esse movimento. Quando você falou do calvário do Gui, me lembrei do Breaking Bad. A trama não tem nada a ver, mas o fato de que diariamente, a cada episódio, ele tem algo muito angustiante com o qual precisa lidar, isso estimula na gente a empatia, porque é muito humano ao mesmo tempo”, completa ele.
Gui Santiago traduz a figura do roqueiro clássico e impulsivo. Tinha problemas com bebida e era briguento, mas, nessa fase de redenção, tenta viver de forma mais ponderada, equilibrada. Para se preparar para viver esse protagonista, Vladimir conta que voltou a fazer canto e teve aulas de guitarra. “Eu só tocava violão bem mais ou menos.” Mineiro criado na Bahia, o ator de 41 anos conta que sempre ouviu muito rock nacional e muito pouco rock estrangeiro. “Sou de uma geração depois de Renato Russo, Frejat, Titãs, Paralamas, mas eu entendi que esse personagem representa um desses caras. Então, eu não só voltei a ouvir esses caras: li as biografias deles e fiz um exercício de começar a ouvir todas as referências que eram citadas nos livros deles, para que eu, de alguma forma, fosse mais esses caras. Comecei a ouvir The Who, The Clash, enfim, tudo isso que era rock dos anos 1970, 80, pós-punk, new wave, para entender esse universo, para me sentir parte dessa galera, e tudo isso fez parte do meu estudo.”
Vladimir se apaixonou pelo personagem. Diz compreendê-lo, mesmo não concordando com ele várias vezes. Mas vê pontos de identificação entre ele e Gui, como a questão da paternidade. Lá no início da novela, o roqueiro, que já era pai da menina Chiara (Lara Cariello), fruto de seu relacionamento com Diana, descobre tardiamente a existência de um filho adolescente, Zac (Nicolas Prattes), que ele teve com uma fã. Mas não demora muito para pai e filho estabelecerem uma relação de amor e proximidade. Vladimir é pai de Vicente (com sua mulher, a atriz Adriana Esteves) e de Agnes (com a cantora Gena Carla, que morreu em 1999), e ainda padrasto de Felipe, filho de Adriana com seu ex-marido, o ator Marco Ricca. Agnes e Vicente moram com o casal, e Felipe vive entre a casa de Adriana e a de Ricca.

“Cada um é de um jeito, e acho isso tão bacana”, comenta Vladimir. “Eu não chamo para conversar, eu sou chamado para conversar, e converso com muito prazer, mas eu não estimulo tanto como a Adriana eles se expressarem, se colocarem. Acho que tem muito mérito dela nessa motivação. Tem o Marco, que é pai do Felipe, e nós todos temos uma relação muito saudável, todos nós somos amigos. Tenho muito orgulho das nossas famílias viverem dessa forma, é isso que eu acredito pra vida. É muito bom a gente se entender, ter diálogo, a gente respeitar as diferenças, e nas nossas famílias isso acontece e acho isso um bem muito valioso.” 

O ator passou anos lutando pela guarda da filha na Justiça - a avó materna dela também queria a guarda. “Claro que foi importantíssimo ter batalhado por isso. Teve um momento que eu perdi, logo depois recuperei a guarda dela e nunca mais a perdi. Mas também aprendi que é muito comum em Vara de Família os processos serem arrastados, propositadamente para que o tempo também diminua as broncas. Tem uma questão emocional muito forte que envolve questões familiares. O tempo também é um forte aliado disso.”

De volta a seu Gui Santiago, Vladimir lembra que iniciou a preparação do personagem quando ainda gravava a minissérie Justiça, em que fazia o papel de Celso, que estava envolvido em todas as histórias da trama. Mas, antes mesmo de Justiça e Rock Story, ele já tinha se comprometido com outra produção da casa. “Quando saí do Tapas & Beijos, logo depois me comprometi com o Zózimo, uma série que agora vai se chamar Cidade Proibida. Se passa nos anos 1950, no Rio. Zózimo é um detetive particular, e ele investiga casos de adultério. Ainda tinha uma aristocracia mais forte e o submundo, e ele flerta nesses dois universos.
 
A série é inspirada no quadrinho O Corno Que Sabia Demais: E Outras Aventuras de Zózimo Barbosa, de Wander Antunes. “Eu me comprometi com essa série há muito tempo. Depois o (diretor) José Villamarim me convidou para fazer Justiça. No meio disso, já com as duas séries topadas, fui convidado para fazer a novela. Achei que não ia dar para fazer, mas eu li para entender o que era, gostei muito do personagem, me empolguei. Eu disse que fazia. Falaram que eu ia emendar os três trabalhos. Os três são projetos interessantes.

E não bastasse, na TV, pular de um personagem para outro com linhas de interpretação tão distintas, no cinema, seu novo papel não é menos desafiante. Em agosto, estreia o filme Bingo - O Rei das Manhãs, dirigido por Daniel Rezende e com roteiro de Luiz Bolognesi, baseado na trajetória do Arlindo Barreto, que reinou nas manhãs do SBT como Bozo, nos anos 1980. Uma figura complexa, que era famoso como o palhaço, mas que ninguém reconhecia quando tirava a fantasia; que levava alegria para as crianças, mas, nos bastidores, era dependente de drogas.  

Na tela, Vladimir vive Augusto, que se torna o palhaço Bingo diante das câmeras. “Ele (Arlindo) tem uma história incrível. Ele não era palhaço, era ator, fez pornochanchada, novela, fez coisa na Globo, na Manchete. Quando pintou oportunidade de fazer um teste para ser palhaço e apresentar um programa, ele foi e fez, mas teve problema com bebida, com droga, no meio disso foi casado com a Gretchen, foi casado com outras atrizes também”, diz. “Ele era famoso, bem remunerado, mas era um anônimo, ninguém sabia quem ele era. Para artista, a falta desse reconhecimento também pode ser uma questão. Para ele era.”
Vladimir lembra que assistia um pouco aos programas do Bozo na infância. Quanto ao próprio Arlindo, o ator só conheceu e conversou durante as filmagens - Arlindo faz uma participação especial no longa. “Tinha a história do palhaço que era muito forte. Tive de me afirmar palhaço. Fiz uma preparação com o Fernando Sampaio, que era parceiro de Domingos Montagner, no La Mínima, os dois fazem uma participação no filme - foi o último filme de Domingos. E cheguei a me apresentar em circo, para tomar as rédeas do meu palhaço.” Esse é o primeiro longa como diretor de Daniel Rezende, montador renomado, indicado para o Oscar por Cidade de Deus. “Digo que ele (Daniel) certamente vai suprir todas as expectativas, porque eu vi o filme e está incrível o trabalho dele.
Estreia 9 de novembro de 2016 - Rock Story 



Causadora de muita infelicidade para a irmã idêntica, Lorena (Nathalia Dill) morreu recentemente em “Rock story”. Não é preciso fazer um grande exercício de memória para lembrar que a novela de Maria Helena Nascimento começou puxada por esse drama, com a mocinha, Júlia, em fuga por causa da gêmea má. Lorena perdeu a vida, mas o repertório de tramas não se esgotou. Ao contrário, de lá para cá, a história só fez avançar. Esse é o maior desafio de quem escreve um folhetim: atravessar uma imensidão de capítulos sem enrolar, inventando acontecimentos, lutando contra a tentação de andar em círculos e repetir truques. Estreante como titular, Maria Helena (que foi colaboradora de autores do primeiro time) vem vencendo tudo isso.

“Rock story” — com direção artística de Dennis Carvalho — não reinventa a pólvora. Longe disso, corre em trilhos conhecidos pelo telespectador. Júlia é mocinha, vítima, lutadora. Se apaixonou pelo herói, Gui (Vladimir Brichta), no que é correspondida. Só que o romance enfrentou inúmeros obstáculos. O principal deles é a ex-mulher do músico, Diana (Alinne Moraes). A personagem, cheia de contradições, é uma das poucas construções fora do padrão nessa novela. Ela é capaz de gestos terríveis sem, no entanto, ser uma malvada tradicional. Boa mãe, é afetuosa e passional. Não tem a frieza de uma vilã armadora. A banda de meninos, uma grande sacada, já foi vista na TV (por exemplo, em “Rebelde”, na Record). Em “Rock story”, a escalação é outro valor: os atores/músicos são ótimos e, juntos, mais ainda. Sem dizer que Brichta canta, o que só faz subir a temperatura das cenas de show. Rafael Vitti (Léo Régis) é outra boa escolha para o papel do ídolo teen que fica entre o malandro e o bobão. E Ana Beatriz Nogueira (Néia), uma atriz de qualquer personagem, aqui está exercitando a veia humorística com o brilho que já cansou de mostrar no drama. João Vicente de Castro se sai muito bem como o empresário mau-caráter Lázaro. A produção das 19h é um daqueles casos em que tudo conflui para algo que cai no gosto do público. Há aí uma dose de subjetividade. Mas, no geral, é mérito da equipe mesmo.
Teatro - 18 de março de 2017


Vladimir surfa com Rafael Vitti - 12 de março de 2017


Revista Trip (fevereiro de 2017)




Twitter


Entrevista - Vlad (fevereiro de 2017)
Visualize no Site do Estrelando : http://www.estrelando.com.br/nota/2017/02/13/vladimir-brichta-fala-sobre-a-carreira-e-se-declara-para-adriana-esteves-durante-entrevista-vem-ver-212948.html

Vladimir Brichta brilhou na TV em 2016

Patrícia Kogut
A Globo realizou uma pesquisa sobre “Rock story” este mês. As opinantes são mulheres de diversas idades e classes sociais, mas com pelo menos uma convicção em comum: Vladimir Brichta está fazendo um Gui irretocável. Poucas vezes se vê tamanha unanimidade nesses grupos de discussão.
O personagem dele na história das 19h de Maria Helena Nascimento é um roqueiro veterano, mas não a ponto de aposentar o seu desejo de fazer sucesso. Seu principal oponente é Léo Regis (Rafael Vitti), um cantor popular da nova geração, a quem acusa de ter roubado uma canção. O fato é que Léo, de quebra (ou principalmente), ocupa o lugar que um dia foi de Gui: o de jovem ídolo da música. Para ele, portanto, trata-se de uma dupla usurpação. O texto aborda um tema delicado, o do envelhecimento num ambiente em que a juventude é quase tudo. Mas faz isso com doses elevadas de leveza e humor. O personagem está muito bem construído pela autora e a direção ( Dennis Carvalho e Maria de Medicis) é competente.
Mas a escolha de Vladimir para o papel faz toda a diferença. Gui tem a energia de um garoto, mas o peso de alguém entre 30 e 40, com uma bagagem, ex-mulher e filha. O ator reúne essas forças. Tudo isso sem dizer que ele ocupa um nicho restrito na TV. Enquanto há inúmeros galãs na faixa dos 20 anos, faltam figuras mais maduras. É uma queixa comum nos bastidores na hora de fazer as escalações. Talvez por essa razão, Vladimir vem sendo figura frequente na teledramaturgia da Globo. E este foi o ano dele. Em “Justiça”uma das melhores produções de 2016, senão a melhor —, interpretou Celso, o dono de uma barraca na praia. Seu personagem era teoricamente coadjuvante. Só que não. Ele aparecia em todos os episódios, com uma trama que atravessou as demais. Foi um trabalho para ser lembrado. Em “Justiça”, como em “Rock story”, as parcerias do ator foram bem felizes. Na dupla com Leandra Leal e com Jéssica Ellen se saiu tão bem como agora, com Nathalia Dill. A esta altura do campeonato, já está reconhecido como um dos grandes da nossa televisão.

 'Vivo com muito prazer em família', diz Vladimir Brichta sobre casamento com Adriana Esteves


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/ela/moda/vivo-com-muito-prazer-em-familia-diz-vladimir-brichta-sobre-casamento-com-adriana-esteves-20490449#ixzz4QUkMiXux
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Vinheta de Fim de Ano 2016
 Fonte: Insta de Lázaro Ramos

Arquivo Confidencial 2016


Twitter

2017
Twitter
2017
Julho
19


Junho
2

Maio
16

2016
Dezembro
1

Novembro
11











De Bozo a rockstar; veja por que Vladimir Brichta foi o "crush" do ano 

Que Adriana Esteves nos desculpe, mas, aos 40 anos, o ator Vladimir Brichta, que é casado com a intérprete da eterna vilã Carminha, venceu 2016 no quesito "crush", quando a gente nutre uma intensa paixão por alguém.
O ator voltou às novelas após 5 anos dedicados ao humor na série “Tapas & Beijos”. Primeiro, chegou como quem não quer nada interpretando o traficante romântico Celso na série “Justiça”. Já no segundo semestre, ele provou que não há limites para a magia e interpretou clones no filme “Um Homem Só”.
Não satisfeito, ele deixou seus sentimentos confusos ao aparecer interpretando o palhaço Bozo no filme “Bingo – O Rei das Manhãs” e para fechar o ano com lacre de ouro, dá vida ao maior ídolo decadente que você respeita na novela “Rock Story”.

  Tanta magia merece ser relembrada:


"Justiça"


O estilo surfista cabeludo de Celso, o traficante multiuso da Ponta da Praia, conquistou Rose (Jéssica Ellen) e todos os espectadores de "Justiça". Dono de um prostíbulo e facilitador de crimes para vários personagens das quatro histórias da série, Celso tinha um arco romântico e servia de alívio para as tramas pesadas da atração.

"Um Homem Só"

Teve Brichta para todos os gostos no filme "O Homem Só", que estreou em 2016. No longa de Claudia Jovin, o ator interpretou Arnaldo, um homem infeliz no casamento e no trabalho e uma versão melhorada em forma de clone. Sorte de Josie (Mariana Ximenes) que conheceu o novo Arnaldo e pode viver um romance com ele. 

"Bingo - O Rei das Manhãs"

Se você cresceu nos anos 80 e 90 certamente acha inadmissível ter um crush no Bozo. Pois bem, Brichta conseguiu arruinar sua infância ao surgir na pele do palhaço no trailer do longa "Bingo - O Rei das Manhãs", que estreia em 2017. O filme reconta a trajetória de sexo, drogas e briga por audiência de Arlindo Barreto, criador do personagem nos anos 80. 

"Rock Story"

Namorar é bom, mas você já parou para assistir Brichta interpretando o roqueiro decadente Gui Santiago em "Rock Story"?. Nem mesmo o temperamento explosivo do personagem e sua obsessão pela fama tiram o charme do cabelo bagunçado e do bracinho tatuado de Brichta. E ainda por cima, ele toca guitarra e canta.
Nota enviada por Lucas Jr Emiliano de Paula -  Queimados (RJ)

Twitter
2017
Fevereiro
9

Rock Story 2016/2017


Estreia 9 de novembro


 
 Mural dos Fãs
  Vlad é elogiado em Grupo de Discussão 

 Trabalho de Vladimir Brichta em 'Rock story' é elogiado em grupo de discussão
O resultado do grupo de discussão de “Rock story” foi, no geral, positivo. Mas impressionou especialmente a unanimidade em torno de Vladimir Brichta. O trabalho do ator foi elogiadíssimo pelas entrevistadas de todas as classes sociais e idades.









 


Próxima do fim, “Rock Story” celebra audiência ascendente em todo país

Da Redação 10:30 :: 19/05/2017

Na reta final, “Rock Story” cresce em audiência por todo o país e ultrapassa 30 pontos

  Rock Story" não é novo "Rebelde"

Flávio Ricco

Flávio Ricco 

Desde que "Rock Story" foi planejada passaram a circular rumores sobre a possibilidade de seus personagens - cantores e banda - saltarem da ficção para a realidade. Eles gravariam discos e também fariam várias apresentações pelo país. Só que não.

A Globo deixa bem claro que "Rock Story" não é "Rebelde", numa referência ao grupo surgido da novela exibida pela Record, com Sophia Abrahão, Mel Fronckowiack, Arthur Aguiar, Micael Borges, Lua Blanco e Chay Suede que lotava casas de shows.

Data hoje, não existe a menor intenção de seguir os mesmos passos da emissora concorrente. Aliás, é sempre bom lembrar que falaram a mesma coisa a respeito das "Empreguetes" de "Cheias de Charme". Que elas iriam fazer turnê de shows, ganhar um longa-metragem...

No fim, não aconteceu nada disso.

                                                


                                                

                                            

                                                Twitter


2017
Novembro 
16

Junho
6





 Maio
31


29



27

10


5

1


Abril
30



 27

 26







22

20


19

14


13


7




6







Março
26
 25




20


2





Fevereiro
28

4

Janeiro
19



13

12
11

10

Dezembro
22


17
16






10




7

4
 3

Novembro
28


23

17



12




11
 10



9


Março
26


25



17






Fevereiro

5

4

2016
Dezembro
7

4

4

3

Novembro
28 

Estreia - 9

























 


















Justiça 2016






Cinema: Bingo - O Rei da Manhã (Estreia 24 de agosto 2017)

 

Vladimir Brichta manda recado em vídeo para maiores de ‘Bingo – O Rei das Manhãs’

 
A Warner Bros. Pictures divulga um novo vídeo de BINGO – O REI DAS MANHÃS, com um recado do próprio Bingo para quem quer assistir ao filme. O conteúdo não é recomendado para menores de 18 anos e o palhaço explica os motivos para todos os seus “amiguinhos”.

A classificação indicativa de Bingo – O Rei das Manhãs não recomendado para menores de 16 anos e a estreia nos cinemas está marcada para 24 de agosto. O longa é uma produção da Gullane em associação com a Empyrean e distribuição Warner Bros. Pictures.

 Veja o vídeo (para maiores de 18 anos)

Inspirado na vida de Arlindo Barreto, o filme levará aos cinemas a história de Augusto, um artista que sonha com seu lugar sob os holofotes. A grande chance surge ao se tornar “Bingo”, um palhaço apresentador de um programa infantil na televisão que é sucesso absoluto. Porém, uma cláusula no contrato não permite revelar quem é o homem por trás da máscara. Augusto, o “Rei das Manhãs”, é o anônimo mais famoso do Brasil.

Com muita ironia e humor ácido, ambientado numa roupagem pop e exagerada dos bastidores da televisão nos anos 80, o filme conta essa incrível e surreal trajetória de um homem em busca do reconhecimento da sua arte.

Bingo – O Rei das Manhãs, dirigido por Daniel Rezende, premiado montador indicado ao Oscar por “Cidade de Deus”, com roteiro de Luiz Bolognesi (“Bicho de Sete Cabeças”, “Uma História de Amor e Fúria” e “As Melhores Coisas do Mundo”) e fotografia de Lula Carvalho (“As Tartarugas Ninja”, “Robocop”), é estrelado por Vladimir Brichta, Leandra Leal, Emanuelle Araújo e grande elenco e traz um retrato da efervescente televisão nacional nos anos 1980, cheio de cores vibrantes e músicas ícones da época.

Bingo O Rei Das Manhãs tem produção da Gullane em associação com a Empyrean e é coproduzido e será distribuído pela Warner Bros. Pictures.

Bingo – O Rei das Manhãs | Filme Ganha Novo Trailer (+18)

Warner Bros. Pictures Brasil divulgou um trailer para maiores do filme “Bingo – O Rei das Manhãs“, que conta com a direção de Daniel Rezende.
No filme, Augusto (Vladimir Brichta), um artista que sempre sonhou com seu lugar sob os holofotes, finalmente tem sua grande chance ao se tornar Bingo, um palhaço apresentador de um programa infantil de televisão que é sucesso absoluto. Uma cláusula no contrato não permite revelar quem é o homem por trás da máscara, produzindo em Augusto a frustração de ser o homem anônimo mais famoso do Brasil. Uma surreal história sobre a busca de um homem pelo reconhecimento de sua arte.
O filme conta com Vladimir Brichta, Leandra Leal, Tainá Müller e Emanuelle Araújo no elenco principal e estreia nos cinemas brasileiros em 24 de agosto.

Biografia de ator de Bozo estrelada por Vladimir Brichta ganha novo trailer

Foi divulgado o primeiro trailer de ‘Bingo: O Rei das Manhãs’. A produção conta a história de Arlindo Barreto, apresentador que deu vida ao palhaço Bozo durante anos. Nas telas, o personagem ganhou um novo nome, Bingo, e será interpretado pelo ator Vladimir Brichta. A prévia mostra o apresentador como uma estrela incontrolável mas de sucesso imenso na televisão brasileira dos anos 80.

VLADIMIR BRICHTA ESTARÁ PRESENTE NA CCXP TOUR NORDESTE PARA FALAR DE BINGO – O REI DAS MANHÃS

O ator participará do painel da Warner Bros. Pictures que acontece no sábado, 15/4

Bingo - O Rei das Manhãs estará presente na CCXP Tour Nordeste com a participação de Vladimir Brichta, que interpreta o protagonista do longa, Augusto. O ator é atração no painel da Warner Bros. Pictures, que está marcado para sábado, 15/4, em Recife.


Uma produção da Gullane em associação com a EmpyreanBingo - O Rei das Manhãs é um retorno a cultura dos anos 80 e durante o painel, o público poderá conferir a influência marcante dessa época sobre a cultura pop.

A CCXP Tour Nordeste acontece no Centro de Convenções de Pernambuco em Recife, de 13 a 16 de abril. Essa será a primeira vez que o maior evento de cultura pop da América Latina terá uma versão fora de São Paulo. As vendas de ingresso acontecem pelo site: ccxptour.com.br, onde também é possível acompanhar os próximos anúncios de atrações e de artistas convidados do evento.
Sobre Bingo - O Rei das Manhãs
O longa, dirigido por Daniel Rezende, premiado montador indicado ao Oscar por “Cidade de Deus”, com roteiro de Luiz Bolognesi (“Bicho de Sete Cabeças”, “Uma História de Amor e Fúria” e “As Melhores Coisas do Mundo”) e fotografia de Lula Carvalho (“As Tartarugas Ninja”, “Robocop”), é estrelado por Vladimir Brichta, Leandra Leal, Emanuelle Araújo e grande elenco e traz um retrato da efervescente televisão nacional nos anos 1980, cheio de cores vibrantes e músicas ícones da época.

Augusto é um artista que sonha com seu lugar sob os holofotes. A grande chance surge ao se tornar “Bingo”, um palhaço apresentador de um programa infantil na televisão que é sucesso absoluto. Porém, uma cláusula no contrato não permite revelar quem é o homem por trás da máscara. Augusto, o “Rei das Manhãs”, é o anônimo mais famoso do Brasil. Com muita ironia e humor ácido, ambientado numa roupagem pop e exagerada dos bastidores da televisão nos anos 80, o filme conta essa incrível e surreal história de um homem em busca do reconhecimento da sua arte.

Bingo - O Rei Das Manhãs tem produção da Gullane em associação com a Empyrean e é coproduzido e será distribuído pela Warner Bros. Pictures. O filme tem estreia prevista para 24 de agosto de 2017.

 CCXP: Daniel Rezende e Vladimir Brichta falam sobre 'O rei das manhãs'

Filme retrata a vida de Arlindo Barreto, que viveu o palhaço Bozo nos anos 1980


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/filmes/ccxp-daniel-rezende-vladimir-brichta-falam-sobre-rei-das-manhas-20588614#ixzz4T48UDZQ8
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

 Ex-Bozo e hoje pastor, Arlindo Barreto fala de filme sobre sua vida

  Rafaela Santos


 Com maquiagem carregada, nariz de palhaço e peruca espalhafatosa, Arlindo Barreto, um dos intérpretes do Bozo nos anos 1980, tinha a missão de entreter as crianças por horas a fio no programa do SBT. Assim como o excesso de trabalho, o abuso de drogas e álcool era recorrente no seu dia a dia. Hoje pastor evangélico, sua história será mostrada em "Bingo - O rei das manhãs", filme de Daniel Rezende estrelado por Vladimir Brichta com lançamento previsto para 2017.

- Passei um tempo com o Vladimir, um ator excelente. Fiz uma espécie de coach e ele conseguiu pegar cada detalhe. Também acompanhei as filmagens. Quando o trailer foi divulgado, um dos meus filhos disse: 'Pai, ele está  igualzinho a você'. Me emociono quando falo sobre isso - diz Arlindo sobre o longa, que, por questões de direitos autorais, apresentará o palhaço como Bingo.

Com 63 anos, Arlindo diz ser verdadeiro o episódio mostrado no teaser no qual uma criança ligou para o programa e falou um palavrão. Em outra cena do filme, o ator aparece usando drogas antes de entrar no palco. Ele nega:

- Isso é ficção. Não acontecia. Por dia, eram quatro palcos com participantes de excursões de quatro escolas. Um calor insuportável. Não teria como fazer o programa drogado - conta ele, que fará uma participação no filme como um homem que leva uma mensagem religiosa ao protagonista.
Uma exigência de Arlindo para a realização da produção foi mostrar sua conversão. Ele virou evangélico depois de um grave acidente de carro, quando ainda interpretava Bozo, e relembra sua decadência no mundo das drogas:

- Se o longa ficasse folia por folia não teria propósito. Queria mostrar o poder que Deus tem. Antes, acreditava que, se chegasse ao topo do sucesso, conquistaria a paz que tanto sonhava. Mas caí numa roda viva que foi justamente o contrário. Quanto mais trabalhava, mais distante eu ficava da minha família. Minha primeira mulher saiu de casa com meu filho. Desci toda a escada da fama, fiquei deprimido. Usei cocaína e entrei no buraco negro. Tentei ajuda em várias terapias e não encontrei. Quando me recuperei do acidente, me vi sem família, sem nada. Fui para a igreja e reencontrei o pastor que havia me ajudado no hospital. Ouvi a palavra de Deus, que tem uma força espetacular. Não senti mais vontade de beber, fumar maconha ou usar cocaína. Isso modificou a minha vida. Queria falar de Jesus na TV (no SBT) e não deixaram. Então, eu disse tchau.

A nostalgia daquele tempo é apenas do trabalho. Arlindo diz que não sente falta da vida glamourosa regada a festas e mulheres (ele chegou ter um romance com Gretchen). Atualmente, faz turnês com seu espetáculo "Mr. Clown", uma comédia religiosa.

- É um trabalho social. Não cobro ingressos, mas alimentos e roupas. Estou à espera de um convite para voltar à TV. Sou ator, já atuei em novelas e gostaria de fazer dramaturgia. Não reeditaria o Bozo porque acho que não vingaria. As crianças de hoje mudaram.

"É um filme da nossa cultura pop", diz diretor sobre ficção baseada em Bozo

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo
04/12/2016

 


O ator Vladimir Brichta e o diretor Daniel Rezende apresentaram na manhã deste domingo (4) na CCXP 2016 (Comic Con Experience), em São Paulo, o filme "Bingo - O Rei das Manhãs", sobre um palhaço nos anos 1980. O filme tem previsão de estreia para agosto de 2017.

O diretor comentou que o ator principal deveria ser o Wagner Moura, mas que ele não pôde participar. "Ele estava falando espanhol e produzindo pó", brincou o diretor, em referência ao personagem de Moura como Pablo Escobar na série "Narcos".

"Logo depois veio a ideia de chamar o Vladimir para fazer o Bingo. Eu percebi que ele era perfeito para o papel", completou Rezende, que levantou para aplaudir o ator. "E o Wagner Moura produziu muito conteúdo para o Bingo usar", brincou também Vladimir, em referência ao vício em cocaína do palhaço da TV.

Segundo o diretor, "Bingo" é baseado em uma história real, porém é tudo ficção. "Conta a história de um homem que queria ser famoso nos anos 1980, uma época de excessos, kitsch, sem noção. E ele encontra seu espaço quando vira palhaço e fica famoso. Mas por causa de uma cláusula do contrato, não pode revelar quem ele é. Ou seja, é um famoso anônimo e aí entram os conflitos. É um filme pop, da nossa cultura pop", explicou.


Vladimir também falou sobre seu personagem. "O Bingo é o Arlindo [Barreto, ator que interpretou Bozo na TV]. Eu tive que rememorar meus anos 1980. Consumi muita televisão daquela época. Eu assistia muito ao programa da Xuxa, porque ela vestia menos roupa que o palhaço. Eu também era encantado pela Gretchen", lembrou Brichta.

A atriz Tainá Muller, que interpreta a mulher de Bingo, estava na plateia e foi convidada para fazer parte do painel. "Eu fui uma criança que não tive babá. Eu tive TV. Então, eu acompanhava os programas de TV todos os dias", contou.

Durante o painel, foi exibido o trailer inédito do filme. Nele, são mostradas diversas piadas de duplo sentido que o palhaço faz em seus programas, deixando incrédulos os pais. "Ninguém acreditava que o programa dele seria líder de audiência", explicou o diretor.

Além do programa, o longa mostra também uma relação conturbada entre o palhaço e o seu filho. "Tem uma frase do filme que eu acho muito forte. O filho dele diz que ele é a única criança do mundo em que o pai brinca com todas as outras crianças menos com ela", revelou o diretor.

  Na Trip, Vladimir Brichta comenta papel no filme daquele palhaço beem famoso, sabe?

Depois do sucesso em “Justiça”, a série super elogiada da Rede Globo, e em meio as gravações de “Rock Story”, Vladimir Brichta está se preparando para o lançamento do filme “Bingo: O rei das manhãs”. Esse promete ser um papel bem polêmico, onde ele interpreta o protagonista Bingo, inspirado no palhaço Bozo.

Em entrevista a TRIP, ele contou sobre o novo trabalho. Por questões de direitos autoriais, o palhaço do longa se chama Bingo e não Bozo, mas a história continua sendo inspirada em Arlindo Barreto, ator que deu vida ao famoso palhaço.

O longa é a estreia de Daniel Rezende como diretor, ele foi o editor de “Cidade de Deus” e “Tropa de elite”. Em 2003, ele venceu Bafta de melhor edição e foi indicado ao Oscar de melhor edição, ambos por seu trabalho no aclamado “Cidade de Deus”.

O elenco do filme conta também com Leandral Leal, como a diretora do programa do palhaço, uma evangélica mega conservadora que deve bater de frente com o estilo de vida do Bingo. Além dela, teremos Emanuelle Araújo fazendo a Gretchen, que supostamente teve um caso com Arlindo Barreto nos anos 80, mas ela nega.

“Esse filme, por inúmeros motivos, é um marco pra mim”, conta Vladimir Brichta. “Sempre tive muito pudor de dizer ‘eu sou palhaço’. Mas é isso: eu sou um palhaço”.

“O projeto surgiu lá atrás, acho que na época do ‘Tropa de elite 2’. Era Wagner [Moura] que ia fazer, mas primeiro era só uma ideia de um filme inspirado em fatos reais. O projeto se encaminhou quando o Dan Klabin, que é um dos produtores, leu sobre o Arlindo Barreto na piauí [em 2017]. Só que Wagner não podia participar, e a princípio o Daniel Rezende não queria fazer sem ele. Depois, veio conversar comigo – certamente Wagner tem participação nessa história. Fizemos uma leitura e pronto, ele falou: ‘Olha, vamos fazer, sim’.”

Vladimir Brichta é bem humilde, tá? Quando elogiam seu personagem na série “Justiça”, ele diz que não merece, não! Mas merece, sim! O ator mandou muito bem como o Celso e ele apareceu em tooooooooooooodas as histórias abordadas na trama.
“Claro que fico lisonjeado, mas quem acompanhou meu trabalho no teatro, ou no cinema, em filmes menores, independentes, que eu faço, entende que transitar por um universo mais realista não é nenhuma novidade na minha carreira. Eu acho meu trabalho em Justiça bom, mas não acho merecedor de tanto elogio. Não acho mesmo. Gosto e recebo, mas fui beneficiado pela surpresa desse público da TV – que não é obrigado a ver tudo que eu faço.”
Curiosidades

Mudança de protagonista


Inicialmente seria Wagner Moura o intérprete de Arlindo Barreto, mas ele teve que desistir do projeto devido à agenda de divulgação da série Narcos

Para assumir o papel


Vladimir Brichta perdeu oito quilos para fazer o personagem e também fez aula de circo.

Primeira vez

Estreia de Daniel Rezende como diretor.

O Bozo nas telonas

Filme inspirado no Bozo, personagem que foi criado por Alan Livingston em 1946 e que ganhou popularidade no Brasi após ser exibido em um programa pela emissora SBT.

 Vida nas drogas

Arlindo Barreto, ex-Bozo, revelou que era viciado em cocaína e que a droga o matinha motivado a trabalhar por tantas horas seguidas.

 Direitos autorais


O nome Bozo não foi utilizado no filme devido a questões de direitos autorais.
 
A entrevista completa você lê na Trip #262 que chegas às bancas no dia 16/02, quinta-feira.


 




  VídeoTwitter/Instagram
2017
Agosto
20

17

9




Abril
29

23

17


2016

Pré RJ - Um Homem Só

Pré SP













Lazer

 
Um Homem Só
Real Beleza
 


























































































































Por: Bruna Romanini
 Após o falecimento da primeira esposa, ator teve que lutar na justiça pela guarda da filha





















































































































No último domingo, o ator Vladimir Brichta falou sobre o momento mais difícil de sua vida: o falecimento da primeira esposa seguido pela luta na justiça pela guarda da filha. No programa Domingão do Faustão seu pai, Arno Brichta, lembrou do difícil momento vivido pelo ator. “Vladimir aos 21 anos era casado e pai e com 23 anos Vladimir era viúvo. Você batalhou muito e está colhendo aquilo que você plantou. Meus parabéns”, disse Arno Brichta.

Após perder a primeira esposa, Gena Karla, devido a uma doença chamada porfiria, que causa distúrbios no metabolismo, Vladimir deixou a filha por um curto período de tempo na casa dos avós, primeiro a avó paterna e depois a materna. O ator fez isso apenas para que pudesse reestabelecer sua vida após a perda da esposa.

Porém, houve um desentendimento com a avó materna e ela entrou na justiça pedindo a guarda de Agnes em 2002.

Na época a menina tinha apenas 4 anos de idade. E o ator teve que lutar muito para reaver a guarda da filha até que finalmente conseguiu. “Hoje eu posso olhar para tudo isso e dizer: primeira, não desistir nunca! Tentei preservar a calma, tentei preservar o bom senso na medida do possível. Repetia sempre uma frase de Galileu Galilei: ‘a verdade é filha do tempo e não da autoridade’. Eu acho que o tempo conseguiu provar e colocar as coisas no seu devido lugar. Tive o apoio de muita gente para conseguir tanto lidar com o falecimento de Gena quanto para conseguir a guarda de Agnes e lidar com o período de afastamento da minha filha. E é tão maravilhoso, passado esse tempo todo, ver a Agnes hoje, uma moça de 18 anos de idade que cursa psicologia, é apaixonada por artes, com uma relação super saudável seja com a família por parte do pai seja com a família por parte mãe, com a avó materna com quem eu já tive problemas, mas isso também passou. Claro que não somos amigos, mas isso passou, porque eu acho que a Agnes é o que mais importa. Nossa responsabilidade como pai faz com que nós tenhamos que estar presente, independentemente da vontade do outro cuidador, nós temos que estar presente”, disse o ator Vladimir Brichta no programa do Faustão.

E a linda declaração que Agnes deu ao pai realmente mostra que tudo valeu muito a pena. “Eu sei a sorte que eu tenho de ter tido um pai tão maravilhoso para mim durante todo tempo que vivemos só eu e ele. Ele é exatamente como eu quero ser, uma pessoa feliz, para cima, que vê os problemas com calma e continua. Pai, eu te admiro muito, parabéns por tudo que você conquistou e que a gente continue conquistando muita coisa juntos”, disse Agnes também no programa do Faustão.




Fãs 

Vlad manda beijo pra Mariana Redondo - de Portugal

 
PS: Editei as imagens só agora, então não lembro exatamente q dia fui na peça, mas foi entre o dia 2 a 4 de agosto de 2013 rs
Taís Almeida Cardoso - Adm.

Nenhum comentário:

Postar um comentário